Novo design é assinado pela Agência Woau! Resenha - Veneno Filmes - X-men - Clube de compras Dallas Resenha - Feita de fumaça e osso
18

[ FILMES ] 3096 Dias de Cativeiro


O filme de hoje é baseado em um dos casos de sequestro mais famosos do mundo. Em 02 de Março de 1998, a menina Natascha Kampusch, então com 10 anos de idade, foi raptada enquanto se encontrava a caminha da escola. Nos próximos 08 anos ela seria mantida cativa em um espaço minúsculo, completamente a mercê de seu algoz. O caso rendeu várias obras, entre elas um best-seller escrito pela própria vitima. Este foi adaptado e é sobre ele que falaremos hoje. Com vocês, o denso e inquietante 3096 Dias de Cativeiro.


Sinopse:
3096 foi o tempo que Natascha Kampusch permaneceu em cativeiro depois de ter sido raptada (em 1998), aos dez anos de idade, pelo psicopata austríaco, Wolfgang  PÅiklopil, quando caminhava para a escola. Apesar da enorme divulgação que o caso teve e de todas as buscas policiais, Natascha só conseguiu fugir oito anos depois, aproveitando um descuido do seu raptor. Esta é a história macabra e absolutamente real de *3096 Dias de Cativeiro*.
Comentários:

Em agosto de 2006, quando Natascha Kampusch conseguiu finalmente fugir de seu sequestrador, eu tinha então 16 anos e estava cursando o segundo ano do ensino médio. Essa, sem dúvida, foi uma das melhores fases de minha vida. Lembro que a mídia caiu em cima do caso, destrinchando tudo nos mínimos detalhes. Na época não dei grande importância, mas assistindo á esse filme e recordando tudo que fiz na adolescência, estremeço ao imaginar do quanto essa garota foi privada. Um sofrimento imensurável.


Talvez por esse motivo o filme tenha me tocado tanto. Uma coisa é você ver algo sabendo que é ficção. Claro, amamos nossos personagens. Por muitas vezes rimos e choramos por eles, mesmo sabendo que determinada obra não é real. Mas quando você sabe que tudo aquilo aconteceu a uma pessoa, as coisas tomam outra proporção. É de alguma forma diferente.

Foi terrível ver uma criança de apenas 10 anos de idade ser tirada da família e confinada em um quarto minúsculo. Longe de tudo que conhecia e privada de casa, pais, escola ou amigos, a pequena Natascha ficou totalmente a mercê de um maníaco sádico.


As atuações são impecáveis. Tem uma cena onde Amelia Pidgeon, a atriz que interpreta Natascha aos 10 anos, está faminta e começa desesperadamente a implorar por comida. Nessa parte parece que a garota está se dirigindo diretamente ao expectador e você fica lá parado, impotente diante da maldade e do desiquilíbrio humano. É frustrante, tenso e aterrador ao mesmo tempo.

E conforme o tempo passa e Natasha amadurece, o terror apenas aumenta. Fome, ameaças, chantagem, abusos, violência. Um verdadeiro terror, físico e psicológico. Foi triste ver a menina quebrada, subnutrida e passiva que ela ia se tornando. E o pior são os momentos em que demonstrava gratidão e afeição ao seu algoz.  Embora não fosse algo incompreensível, já que por anos ele fora sua única companhia, esse comportamento submisso foi uma das coisas mais chocantes do filme.


Para quem tem curiosidade em conhecer mais sobre o caso, o filme é bastante indicado. Mas estejam preparados, o conteúdo é denso e por vezes é difícil se manter assistindo, o que pode incomodar aos mais sensíveis.

18 comentários:

  1. Já assisti o filme e li o livro. É um tanto triste sentir o que ela sentiu, viver com alguém totalmente perturbado..

    http://meueternoinverno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dieny,

      Muito triste mesmo. Foi perturbador assisti a esse filme.

      Abraços!!!

      Excluir
  2. Honestamente, não lembro desse caso. Talvez assistindo ao filme acabe lembrando, só não sei se aguento. :/ Ótimo review.

    Abraço!
    http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi,

      Pois é, o caso teve uma grande repercussão. E é bem forte mesmo, fiquei perturbado em diversas partes.

      Abraços!

      Excluir
  3. Nossa. Eu lembro do caso, e fiquei com uma vontade imensa de assistir ao filme, mas ao mesmo tempo tenho medo. O filme é tão forte... Tenho estômago fraco para essas coisas, ainda mais sabendo que a história é real.

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mandy,

      Pois é, eu assisti ao filme mais por curiosidade. É bem forte mesmo. E por se tratar de um caso real incomoda ainda mais.

      Abraços!

      Excluir
  4. Oi Jeferson,
    tudo bem?
    Nossa, estou chocada!!! Eu não lembro desse caso. Mas o seu relato é impressionante, e mesmo que não fosse baseado em fato verídicos, assim mesmo seria verídico, pois sabemos que infelizmente esses monstros existem.
    Não conseguiria ver esse filme e muito menos ler o livro.
    beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila,

      Querida, você descreveu a coisa muito bem. É realmente muito chocante. E entendo sua reserva, o relato pode ser realmente chocante para pessoas mais sensíveis.

      Abraços.

      Excluir
  5. Ei Jeff

    Eu consegui o livro na troca do Skoob, mas não li até hoje aff.
    Ai claro, também não vi o filme ainda hehe. Mas quero assistir.
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nan,

      Eu apenas soube que havia um livro depois de buscar mais sobre o caso. Mas acho que não quero ler não. O caso todo é pesado demais.

      Abraços!!!

      Excluir
  6. Oi Jeferson!
    Nossa, só de ler a sua resenha sobre o filme já me senti bastante chocada. Em geral, eu gosto de dramas e histórias fortes porque normalmente nos fazem pensar... Mas, como você disse, o sentimento se torna diferente ao saber que coisas horríveis aconteceram com um ser humano de verdade, ainda mais por tanto tempo. Não conhecia a história da Natasha, mas acho que ainda não estou num bom momento para encará-la.
    Abração!
    Priscilla,
    http://infinitasvidas.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Priih,

      Realmente é necessário muito cuidado com o momento que escolheremos para conhecer esse caso mais a fundo. É bem chocante e capaz de deixar alguém muito pra baixo.

      Abraços!!!

      Excluir
  7. Já tive vontade de ver esse filme, mas não sei por que nunca vi. Gostei do seu comentário, eu gosto dessas histórias chocantes e reais, é tipo um tapa na cara de quem sempre reclama da vida boa que tem, fiquei com vontade de ler o livro. Vou procurar o filme primeiro e tirar a curiosidade!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claris,

      Realmente. As vezes apenas lendo esses casos a gente se dá conta do quanto somos privilegiados e mal sabemos. Que bom que gostou da resenha.

      Abraços!!!

      Excluir
  8. Já tinha ouvido falar
    E parece ser um filme bem tenso

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela,

      É realmente um filme bem tenso.

      Abraços!

      Excluir
  9. Jef, eu tenho o livro. Lemos no Clube do Livro e ele é tenso. Fiquei sabendo - ou não lembrava mesmo - que existia o filme faz duas semanas, agora quero conferir. Sei que vou sentir tudo de novo o que senti quando li, mas acho que é interessante, ainda mais por ter conhecido a história contada pela Natascha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Eu li o livro e fiquei curiosa para assistir o filme apesar de saber que muitos detalhes que são descritos nos livros são desconsiderados quando se trata de reprodução em filme, mas vou procurar para assistir afinal "as vezes uma imagem fala mais que mil palavras"... Abraços!

    ResponderExcluir

Olá, obrigado pela visita!!!